sábado, 3 de janeiro de 2015

Imaginar o meu avô no lar

Ontem à noite recebi a notícia de que o meu avô iria de forma permanente para o lar, fiquei de rastos, pois sei que se ele vai para lá eu perco-o no espaço de 1 ano.
Apesar de saber que é o melhor tanto para ele como para os meus padrinhos (que cuidam dele durante a noite), sei que o meu avô mesmo no estado em que está, não quer estar no lar, está demasiado ligado à casa dele. E por muito que me digam que ele vai ser bem tratado, que no lar vai poder ter outro tipo de cuidados que não é possível ter em casa dele, não consigo aceitar o facto de ele ser internado num lar, custa-me demasiado aceitar... Principalmente porque sinto que colocá-lo no lar é como se o estivéssemos a abandoná-lo lá (apesar de saber que não é verdade), o meu avô sempre foi uma pessoa que fez de tudo pelos seus e agora imaginá-lo "preso" num lar... Isso é demasiado mau.
Já me disseram que posso ir visitá-lo e tudo mais, epah eu sei que sim, mas vai ser diferente, muito diferente mesmo! Até porque também sei que sempre que eu o for visitar ele vai querer vir embora para casa.
Quem me dera poder voltar atrás no tempo, acabaria com tudo isto!

Sem comentários:

Enviar um comentário