sábado, 14 de novembro de 2015

A crise

No que respeita à crise, Portugal faz parte do grupo de países que mais dificuldades económicas tem enfrentado nos últimos anos, o que fez com que o país entrasse num estado de descrença e de cansaço.
Por um lado, temos uma situação de crise em que se torna quase impossível pagar as despesas básicas, isto é, pagar as contas como a da água e da luz, tudo se tornou num autêntico sacrifício. Com os cortes nas pensões e nos vencimentos dos funcionários públicos, é necessário cada vez mais “espremer” cada cêntimo até ao fim para que uma família normal consiga sobreviver com um único salário mínimo em casa, pois o que mais se vê, nos dias que correm, são casais, com um ou dois filhos, onde apenas um dos cônjuges está empregado.
Além disso, o desagrado perante a falta de reconhecimento do esforço empreendido pelos portugueses torna-se cada vez mais evidente, em particular através de cartas, petições e principalmente com manifestações. Temos o exemplo das manifestações feitas pelos médicos e enfermeiros em defesa do Sistema Nacional de Saúde. Há ainda outras organizadas por outros funcionários públicos, como os professores, que lutam para obter melhores condições de trabalho.
Por estas razões, os portugueses entraram numaespécie de estado em que assumem que quando é para a desgraça que seja”, temos no país um ambiente de pessimismo e a população mostra cada vez mais o seu descontentamento através de novas formas de expressão.

Texto escrito por mim numa oficina de escrita em português, o tema era a crise e a stora dáva-nos as indicações que pretendia, como por exemplo tópicos em relação aos argumentos e exemplos utilizado no texto. E nós tínhamos que estruturar um texto seguindo esses pontos de referência.

Sem comentários:

Enviar um comentário